LITERACIA EM SAÚDE DOS UTENTES COM HIPERTENSÃO ARTERIAL

Autores

  • Carlos Miguel Gaiola Mingote Enfermeiro Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica, Centro Hospitalar Universitário Cova da Beira (CHUCB), Portugal
  • Cláudia Marisa Vicente Conceição Mingote Mestre e Especialista em Enfermagem Comunitária, CHUCB
  • Eduardo António Ferreira Enfermeiro Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica, CHUCB
  • Miguel Castelo-Branco Sousa Médico Sénior do CHUCB. Especialista em Medicina Interna e Medicina Intensiva e titular da Competência de Emergência; Medicina, Professor Catedrático, Faculdade de Ciências da Saúde-Universidade da Beira Interior
  • Manuel Carvalho Rodrigues Assistente Hospitalar de Cardiologia; CHUCB; Professor Assistente Convidado, Faculdade de Ciências da Saúde-Universidade da Beira Interior

DOI:

https://doi.org/10.58043/rphrc.113

Palavras-chave:

Doença Crónica, Hipertensão Arterial, Literacia em Saúde

Resumo

Enquadramento: As doenças crónicas não transmissíveis são consideradas um dos maiores problemas e desafios de saúde pública, dentro das quais se inclui a Hipertensão Arterial. Trata-se do fator de risco de doença cardiovascular com maior prevalência. Pelo seu caracter silencioso e assintomático, os hipertensos revelam dificuldades de adesão ao tratamento, que se traduz num ineficaz controlo dos níveis de pressão arterial, potenciando o surgimento de complicações relacionadas com a morbidade e mortalidade cardiovascular. Neste sentido, tem vindo a ser destacada a importância de uma literacia em saúde adequada, para aumentar o conhecimento e compreensão da doença e processo terapêutico, com enfoque particular no controlo dos fatores de risco, alteração de comportamentos e estilos de vida e na promoção da adesão ao tratamento. Objetivos: Conhecer o nível de LS dos utentes que frequentam uma consulta aberta de HTA na Região Centro. Métodos: Estudo não experimental de natureza quantitativa, de tipo descritivo-correlacional e transversal, realizado numa amostra não probabilística, de conveniência, constituída por 39 utentes que frequentam uma consulta aberta de HTA. Para avaliar o nível de Literacia em Saúde utilizouse o Questionário Europeu de Literacia para a Saúde Health Literacy Survey in Portuguese (HLS-EU-PT), validado por Saboga-Nunes e Sørensen em 2013. Para o tratamento estatístico utilizou-se o programa de tratamento estatístico Statistical Package for the Social Science (SPSS), na versão 28. Resultados: Os utentes são maioritariamente (53,8%) do sexo masculino, com média de idades de 57,5 anos, casados (69.2%), empregados (59.0%), com habilitações literária de 1o e 3o ciclos (25.6%) e residentes no meio urbano (64,1). Observou-se que 84,6% da população apresenta um nível de “Literacia em Saúde geral” problemático ou inadequado e apenas 2.6% apresenta um nível excelente, sendo os resultados mais preocupantes na dimensão “Promoção da Saúde” em que 87,2% apresenta uma literacia limitada. Conclusão: Estes resultados apontam para a necessidade de governo, entidades de saúde e profissionais de saúde, continuarem a investir em estratégias que promovam a literacia em saúde, com vista ao empowerment dos cidadãos, de modo a torná-los mais ativos na manutenção e melhoria da sua saúde e melhorar a gestão da sua doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Instituto Nacional de Estatística [INE] (2021, dezembro). Censos 2021. Divulgação dos Resultados Provisórios. Destaque. Informação à Comunicação Social. Lisboa, Portugal: Instituto Nacional de Estatística

Direção-Geral da Saúde [DGS] (2016). A Saúde dos Portugueses. 2016. Lisboa, Portugal: Direção-Geral da Saúde. ISSN: 2183-5888.

Ministério da Saúde [MS] (2018). Retrato da Saúde, Portugal. Lisboa, Portugal: Ministério da Saúde. ISBN 978-989-99480-1-3

DALYs GBD, Colaboradores H. (2018, november). Anos de vida globais, regionais e nacionais ajustados à incapacidade (DALYs) para 359 doenças e lesões e expectativa de vida saudável (HALE) para 195 países e territórios, 1990-2017: uma análise sistemática para o Estudo sobre o ônus global da doença. Lancet, 392 (10159), 1859-92. doi: 10.1016/S01406736(18)32335-3.

Chow, C. K, Teo, K. K., Rangarajan, S., Islam, S., Gupta, R., Avezum, A., ... Yusuf, S. (2013, september). PURE Study Investigators. Prevalence, awareness, treatment, and control of hypertension in rural and urban communities in high-, middle-, and lowincome countries. JAMA, 310 (9), 959–968. doi: 10.1001/jama.2013.184182

Macedo, M. E., Lima, M. J., Silva, A. O., Alcantara, P., Ramalhinho, V. & Carmona, J. (2005, september). Prevalence, Awareness, Treatment and Control of Hypertension in Portugal: the PAP study. J Hypertension, 23 (9), 1661-6.

Polonia, J., Martins, L., Pinto, F. & Nazaré, J. (2014, Jun). Prevalence, awareness, treatment and control of hypertension and salt intake in Portugal: changes overadecade.ThePHYSAstudy.J.Hyperten.,32(6), 1211-21. doi: 10.1097/HJH.0000000000000162.

Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge [INSA] (2016). 1o Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico (INSEF 2015): Estado de Saúde. Lisboa, Portugal: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP. ISBN: 978-989-8794-31-4

Santos, M., Coelho, P. & Pereira, A. (2020, janeiro/ fevereiro). Programa da Pressão Arterial da Beira Baixa - Concelho da Covilhã. Revista Portuguesa de Hipertensão e Risco Cardiovascular, 75, 6-14.

Unger, T., Borghi, C., Charchar, F., Khan, N.A., Poulter, N.R., Prabhakaran, D., ... Schutte, A.E. (2020, jun). International Society of Hypertension Global Hypertension Practice Guidelines.Hypertension, 75 (6), 1334-1357.doi: 10.1161/ HYPERTENSIONAHA.120.15026. Epub 2020 May 6. PMID: 32370572.

Williams, B., Mancia, G., Spiering, W., Agabiti Rosei, E., Azizi, M., Burnier, M. (2018). Diretrizes ESC / ESH para o gerenciamento da hipertensão arterial: a Força-Tarefa para o gerenciamento da hipertensão arterial da Sociedade Europeia de Cardiologia e a Sociedade Europeia de Hipertensão. Jornal de hipertensão, 36 (10), 1953-2041

Sociedade Portuguesa de Hipertensão [SPH] (2020, março/abril). Tradução Portuguesa das Guidelines de 2018daESH/ESCparaoTratamentodaHipertensão Arterial. Revista Portuguesa de Hipertensão e Risco cardiovascular, 76 (Suplemento), 1-111.

Pedro, A. R., Amaral, O., & Escoval, A. (2016). Literacia em saúde, dos dados à ação: Tradução, validação e aplicação do European Health Literacy Survey em Portugal. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 34 (3), 259-275.

Araújo, I. M. B., Jesus, R. A. F., Teixeira, M. L., Cunha, A. R.S., Santos, F. M. S. & Miranda, S. R. F. (2018, julho/agosto/setembro). Literacia em saúde de utentes com hipertensão e diabetes de uma região do norte de Portugal. Revista de Enfermagem Referência, 4 (18), 73 – 82.

Pedro, A. R. (2018). Literacia em Saúde: da gestão da informação à decisão inteligente (Tese de Doutoramento em Saúde Pública). Escola Nacional de Saúde Pública. Lisboa, Portugal.

WorldHealthOrganization[WHO](1998).Health promotion glossary. Switzerland Geneva: World Health Organization.

Kickbusch, I., Wait, S. & Maag, D. (2006). Navigating health: The role of health literacy. UK, London: Alliance for Health and the Future. International Longevity Centre. Disponível em https://ilcuk.org.uk/wp-content/uploads/2018/10/ NavigatingHealth.pdf

Fundação Calouste Gulbenkian (2016). Literacia em Saúde em Portugal. Relatório Síntese. Lisboa, Portugal: Fundação Calouste Gulbenkian. ISBN 978-989-8807-27-4

Soares, A. W., Maia, M., Visconti, V., Fernandes, A. Espírito Santo, J., Oliveira, I., & Araújo, F. (2020, abril/junho). Literacia em Saúde nos Doentes Hospitalizados num Serviço de Medicina Interna, Medicina Interna, 27 (2), 124-130. DOI: 10.24950/O/233/19/2/2020.

Direção Geral da Saúde [DGS] (2019a). Plano de Ação para a Literacia em Saúde 2019-2021 – Portugal. Lisboa, Portugal: Direção-Geral da Saúde

Saboga-Nunes, L. Sousa Martins, R. A., Farinelli, M. R. & Julião, C. H. (Orgs.) (2019). O Papel da Literacia para a Saúde e Educação para a Saúde na Promoção da Saúde. Curitiba, Brasil: Editora CRV. DOI 10.24824/978854443475.8

Ministério da Saúde [MS] (2016). Despacho n.o 3618-A/2016 de 10 de março. Diário da República, 2.a série, n.o 49, 8660-(5).

Ministério da Saúde [MS] (2017). Despacho n.o 6429/2017 de 25 de julho. Diário da República, 2.a série, n.o 142, 15406-15407.

Serviço Nacional de Saúde [SNS] (2017). SNS + Proximidade. Mudança Centrada nas Pessoas. Lisboa, Portugal: Serviço Nacional de Saúde. Disponível emhttps://www.sns.gov. pt/wp-content/uploads/2017/11/20171120_ LivroSNsProximidade-1.pdf

Direção Geral da Saúde [DGS] (2019b). Manual de Boas Práticas Literacia em Saúde. Capacitação dos Profissionais de Saúde. Lisboa, Portugal. Direção-Geral da Saúde. ISBN: 978-972-675-288-2. DOI: 10.13140/RG.2.2.17763.30243

Saboga Nunes, L. & Sorensen, k. (2013). Versão portuguesa autorizada do Questionário europeu de literacia para a saúde Health Literacy Survey in Portuguese (HLS-EU-PT). Lisboa, Portugal: Universidade Nova de Lisboa.

Saboga-Nunes, L., Sørensen, K., Pelikan, J., Cunha, M., Rodrigues, E. & Paixão, E. (2014). Cross-cultural adaptation and validation to Portuguese of the European Health Literacy Survey (HLS-EU-PT). Atencion Primaria, 46 (Esp Cong.1), 13 https:// doi.org/http://www.elsevier.es/es-revista-atencion-primaria-27-pdf-S0212656714700691

Costa, A., Saboga-Nunes, L., & Costa, L. (2016). Avaliação do nível de literacia para a saúde numa amostra portuguesa. Observações_ Boletim Epidemiológico, 5(17), 38-40.

Espanha, R. Ávila, P. & Mendes, R. V. (2016). Literacia em saúde em Portugal. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian

Pedro, A. R. (2019). Literacia em Saúde na Doença Crónica. In Saúde que Conta. Disponível em https:// www.saudequeconta.org/investigacao/6a-fase-literacia-saude-doenca-cronica/

Serrão, C., Veiga, S. e Vieira, I. (2015). Literacia em saúde: Resultados obtidos a partir de uma amostra de pessoas idosas portuguesas. Revista Portuguesa de Enfermagem de aúde Mental, 2 (Ed Esp.), 33 – 38

Downloads

Publicado

2024-01-28

Como Citar

1.
Gaiola Mingote CM, Vicente Conceição Mingote CM, Ferreira EA, Castelo-Branco Sousa M, Carvalho Rodrigues M. LITERACIA EM SAÚDE DOS UTENTES COM HIPERTENSÃO ARTERIAL. RH [Internet]. 28 de Janeiro de 2024 [citado 2 de Março de 2024];(99):10-21. Disponível em: https://revistahipertensao.pt/index.php/rh/article/view/113

Edição

Secção

Artigo Original